terça-feira, 2 de maio de 2017

Cada um contribua "segundo propôs" em seu coração - 2

...O título deste capítulo, propositalmente posto, exemplifica eficientemente as falta de conhecimento (Em alguns casos) e o 'tendenciosismo' (Em outros). A epístola aos hebreus, tem sido usada por pessoas que desconhecem a mensagem Sagrada e/ou não encaram com seriedade o que representa "Deus". Esta epístola, vem sendo base para pessoas que são contra 'dar dízimo, na igreja contemporânea' (Nos dias de hoje), usando para isso, mas especificamente, os versos 11 e 12, do capítulo sete, desta: "De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei."

     Façamos uma pequena análise deste texto que acabamos de ler:

- Perceba que o escritor refere-se literalmente a fragilidade do sacerdócio levítico (Lei de Moisés), adjetivando-o como imperfeito. (...Se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico...);

- "que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque ...?" Veja: A imperfeição da 'Lei" Abre lacuna para a vinda de Cristo (Ordem de Melquisedeque e não de Abraão);


- "Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei." Neste ponto, evidencia-se a interpretação mais equivoca à cerca do 'dízimo' pois quer-se fazer crer que a mudança da lei, traz atrelada a ela a extinção do mesmo, o que podemos entender como equívoco, pois as mudanças feitas por Jesus na Lei e na sua forma de cumpri-la, encontram-se em Mateus 5: 27 - 48 _"Ouviste o que foi dito aos antigos... (Cristo aqui faz referência a Lei de Moisés, da qual, como vimos; o dízimo não consta como elemento constitutivo). Aconselho ler o texto em questão para melhor compreensão, pois em nenhum momento Jesus fez menção ao dízimo, não impondo ao mesmo,  nenhum tipo de mudança, ou inutilidade).

... Nos versos de 1 a 5, deste mesmo capítulo ('7' de Hebreus), vimos Melquisedeque (Figura de Cristo) Abraão e dízimo, serem usados, em texto comparativo, para evidenciar-se tão somente a autoridade de Melquisedeque em relação a Abraão (de quem recebeu ele o dízimo). Em seguida a comparação entre o povo de Deus (descentes de Abraão) e os levitas, seus irmãos, que impõem-se, segundo a vontade de Deus para como sacerdotes, tomarem deles o dízimo.

Ora percebam que as figuras usadas, como disse, demonstram a superioridade do sacerdócio de Cristo, sobre Abraão e seus descendentes. Assim podemos concluir com segurança que este capítulo, da carta aos hebreus, não revela de nenhuma forma a extinção de dízimo, mas a fragilidade de uma lei que não aperfeiçoou ninguém. (Lei por favor os post's: "A Origem" e "Simbologia")... Continuarei.