segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Tirando a máscara neopentecostal

O texto da revelação de Deus pelo profeta Malaquias capítulo três, Têm sido usado de forma errada. A mensagem nele contida, muito embora o trate, não está centralizada ao problema do dízimo. Trazida pela boca de Malaquias ao povo de Jerusalém, entre os anos 450 e 432 a.C., a mensagem deve ser pregada e interpretada como um todo e não em partes isoladas que desvirtuam o teor da mesma, levando o discipulando a uma compreensão equivocada do sentido exortativo que o Espirito trouxe àquele povo pelo profeta de Deus.
Naquela ocasião, o Senhor adverte seu povo, começando com a prenunciação da vinda de juízo (Ml.3:1-3), possivelmente o prenunciador João Batista, (O anjo do Senhor, uma referencia indireta sem dúvida a primeira vinda de Jesus), onde assevera que o povo deverá passar por um 'juízo' necessário à restauração e purificação. para que fosse restaurado o culto jenuino ao Senhor onde suas ofertas sejam justas e 'então', recebidas (Vs. 4,5), Fica claro ainda, que tal juízo, consumiria todo o povo, não fosse suas fidelidade, imutabilidade e seu declarado amor por Jacó (Comp. Cap.1:1 com Cap.3:6). No verso sete, Deus assevera contra todo o povo, uma apostasia que vinha atravessando gerações (Desde o dia de vossos pais (Cap. 3:7). Aqui o Senhor mostra a fragilidade de caráter de todo o povo, que embriagado pelo pecado, ostenta um falsa santidade (...Tornai-vos para mim diz o Senhor dos Exércitos; mas voz dizeis: em que devemos de tornar? Roubará o homem à Deus?)...
...Voltemos então aos dois primeiros capítulos da revelação de Deus em Malaquias, e entenderemos que o assunto é único nos três capítulos do livro deste profeta. Havia uma apostasia instalada de forma dissimulada, onde os sacerdotes eram responsáveis pela profanação do altar sagrado do Senhor, o povo oferecia ofertas imundas, animais cegos e coxos no rituais de santificação (Cap. 1:7,8), prometia os animais puros e oferecia os que tinham mácula, ... no Capítulo dois podemos entender que os sacerdotes, tinham grande parcela de culpa, porque de certa forma induziam o povo ao erro e o fazia pecar, a exemplo disto vimos também a profanação do santuário quando o povo abandona os preceitos sagrado e há promiscuidade nos casamentos, casando-se com mulheres idólatras; (Cap. 2:11) isto para Deus era abominação... Continua